©TTVerdePt (2000)   

Normas de comportamento fora do asfalto

A  AUTT* sabe que não é fácil estabelecer  normas básicas de conduta para se conseguir una circulação  responsável e respeitadora, nos caminhos não asfaltados. Tomando como base uma primeira relação de possíveis regras ou normas de comportamento redigidas por um dos fundadores e  primeiros promotores da criação desta Associação, Ramon Cabarga, incluímos nesta  página a listagem, a qual não pretende ser exaustiva, mas sim  algo que vá crescendo com a colaboração de todos. 

A maioria dos pontos incluídos são de pura lógica, autênticos lugares comuns, mas recorda-los de vez em quando nunca será de mais, sobretudo porque facilitará que os que nos observam com maus olhos, nos respeitem um pouco mais.

I Circula unicamente pelos caminhos e pistas já existentes, evitando a todo o  momento criar novos trilhos e circular através dos campos.
II Avança sempre devagar, se possível abaixo dos quarenta quilómetros por hora, inclusive mais devagar ainda quando as pistas estejam muito  secas, para evitar levantar pó.
III Dá preferência a peões, gado, ciclistas, etc., circulando tão devagar quanto necessário e detendo-nos por completo sempre que seja preciso, para facilitar ao máximo a circulação de todos eles. Cumprimenta ao passar, dando os bons dias ou as boas tardes; que vejam que somos pessoas civilizadas e simpáticas.
IV Deixa as portas, portões, cadeados e cancelas que atravesses, tal  como as tenhas encontrado ao chegar. Normalmente a sua função é evitar que o gado abandone uma zona determinada, por isso geralmente estão fechadas.
V Atravessa os rios só em caso de necessidade. Se existe um caminho alternativo ou uma ponte nas proximidades, utiliza-o.
VI Tem à  mão sacos de plástico fortes para recolher qualquer desperdício que origines, incluindo os que encontres à tua passagem para os trazeres  de volta até ao contentor de lixo mais próximo.
VII Não atires nenhum objecto pelas janelas da viatura. Lembra-te de que, se fumas, as pontas também devem regressar sempre ao cinzeiro do veículo.
VIII Não acendas nunca fogos ilegais nem fogueiras. O risco de incêndio nos nossos montes é elevado, sobretudo nos meses de verão. Se observamos qualquer inicio de incêndio, que não possamos apagar pelos nossos próprios meios, dar parte imediatamente às autoridades competentes.
IX O ruído excessivo é especialmente incomodativo, não devemos buzinar, nem  levar o auto-rádio no máximo do volume como se estivéssemos numa discoteca. Sempre que estejamos parados devemos desligar o motor. Actuando silenciosamente poderemos escutar a  natureza.
X O veículo não deve perder absolutamente nenhum  líquido. Devemos efectuar uma manutenção escrupulosa, para evitar qualquer perda de fluidos enquanto estejamos no  monte.
XI O nosso motor também deve estar sempre afinado. O tubo de escape não deverá emitir nem fumos excessivos nem um só decibel de ruído acima do que seria normal num veículo novo.
XII Evita as grandes concentrações. Se queres desfrutar do monte não tem sentido converte-lo numa auto-estrada com centenas TT. Se em alguma ocasião os participantes num passeio se tornam  inevitavelmente demasiado numerosos, dividi-los em grupos de 4 o 5 viaturas e deixar muito, espaço entre os mesmos.
XIII Recorda que uma das nossas  obrigações é tratar de ajudar na conservação dos caminhos não asfaltados. Livrar os caminhos de pedras e reparar na medida do possível,  os estragos produzidos pelas inclemências climatéricas e pelo abandono, devem ser atitudes habituais quando saiamos do asfalto.
XIV Respeita as propriedades privadas e as sementeiras. Apesar de um terreno cultivável possa parecer abandonado, não devemos pisa-lo nem sequer para manobrar, e lembrar sempre que o mesmo tem dono.
XV Lembra-te de que a gente do campo está em "sua casa" e tu és uma visita. Respeita-os  sempre, sê amável e relaciona-te  o melhor  possível com os oriundos de cada lugar, as historias de a gente mais idosa são uma inestimável fonte de conhecimentos.

XVI

Evita sempre as confrontações de qualquer tipo. No caso de desacordo com os proprietários ou guardas de supostos caminhos particulares. Se pensas que algo não está certo, reclamarás depois, devidamente informado e com a lei na mão.
XVII Se decidires visitar alguma zona protegida ou com  normas restritivas, solicita sempre as oportunas autorizações administrativas. Tenta  mudar as leis, nunca transgredi-las.
XVIII Respeita sempre escrupulosamente as indicações das autoridades (estatais, municipais, etc.) assim como qualquer sinalização  escrita que se encontre.
XIX Há uma norma que recompila todas as anteriores: Procura,  sempre que saias do campo, que não se note que estiveste  ali.

Distribui estas normas. Imprime esta folha e entrega-a aos outros utentes dos caminhos não asfaltados que encontres  nas tuas saídas pelo monte. Copia-a  e coloca-a na tua página web.

Consciencializar os praticantes é a melhor maneira de construir o futuro do TT.

* © 2.001 AUTT - Asociacion de Usuarios del Todo Terreno (Espanha)


Topo

Obrigado ao  Rui Marques, pela sua chamada de atenção para o site www.autt.org
 
e para o quadro que reproduzimos em cima.

Comentários para   contacto@ttverde.com 

 

 

0

 

 

 

 



O canal do Tempo, de Luís Sanches  [xiritung@clix.pt]
InforTempo

Pesquisar o TTVerdePT


 

 
 

Pesquisa Naturlink



 

Contacto webmaster@ttverde.com