O Grupo Desportivo do Estreito – Ilha da Madeira • Instituição Pública Desportiva, tem uma secção denominada ATL (Automobilismo; Todo-o-terreno e Lazer) da qual surgem todos os eventos motorizados e de aventura deste clube. O nosso evento mais conhecido pelo País, é a RONDA dos CASTANHEIROS que para o próximo ano vai já para a (14ª) décima quarta edição. Para aqueles que menos nos conhecem, queremos deixar aqui bem claro que mesmo na área de competição, temos sempre como preocupações prioritárias: a Segurança; a Defesa do Ambiente e a Palavra (única).

(Click nas miniaruras para aumentar)

Não só no recolher sucata é limpar o ambiente, também organizar uma associação de entusiastas de carros históricos é limpar até porque no recuperar essas sucatas que está as limpezas do ambiente. Não só recuperam o lixo do fundo da garagem como também o das bermas das estradas etc.  Que seja de conhecimento geral, neste momento existe o Clube VW Carocha’s, os Volvo’s, os Nini’s e os Fiat’s.

O Clube Mini da Madeira funciona na secção ATL do GDE e até já tem um carola com uma página que é: www.minismadeira.8k.com e que tem muitas coisas sobre Mini’s (minimania). Em Janeiro fez-se a primeira concentração e seguido de passeio, em Agosto deslocaram-se ao Autodromo do Estoril uma embaixada dos Mini’s Madeira afim de assinarem protocolo de parceria com o Clube Mini de Portugal. 

Informamos que todos os primeiros Domingos de cada mês há uma concentração denominada café Mini’s no Restaurante o Lagar no qual serão todas as pessoas bem recebidos mesmo se tratando de turistas de passagem pela Madeira, desde que gostem e/ou possuem Mini’s.

Em 15 de Setembro 2002 o Clube Mini da Madeira organizou um passeio em parceria com a VW Carocha e Volvo. Este passeio foi denominado I Passeio da Amizade já que se conseguiu unir três clubes e que teve como objectivo reunir fundos para serem entregues a uma casa de caridade e apoio infantil.

Numa terra como esta, com muito turismo, é engraçado ver os turistas pararem pelas estradas, só para verem as (talvez) máquinas dos nossos pais ou da era deles. A certa altura para quem estava inserido no grupo, parecia estar a viver os anos 60, 70 ou mesmo 80. 

Fotos e texto de Trindade Silva (GDE-Madeira)

| 1ª página | Eventos | Opinião | Noticias | Citações | Álbum | Arquivo | Contacto | Links | Associações | Zaping | Clássico | News |