©TTVerdePt (2000)   

O desejo de ser "O MAIOR"...
...em vez da Vontade de ser "O MELHOR". 

Neste maravilhoso País de "brandos costumes", os "milhões" continuam a fluir, dos Fundos de Coesão, de empréstimos dos  Bancos Internacionais de Investimentos, e, triste sina a nossa, dos bolsos dos Portugueses, graças aos  impostos. 

E onde têm sido prioritariamente empregues: Nas grandes "obras de fachada", como por exemplo, para citar as mais recentes e volumosas: 

- EXPO98: Quem (e quanto) ganhou ? Quanto foram buscar ao "meu bolso"
 
- PORTO CAPITAL DA CULTURA: Cultura?  pouca, e muitas vezes medíocre..! Buracos? muitos! Casa da Musica? grande buraco, muitos tapumes e golpes de baixa politica (..!). Enfim, a "musica" do costume..! 

- EURO 2004?  estádios de futebol, subsídios (para "quê" ou para "quem"?); etc.,etc.,etc. , pura alienação social !

-E a SAÚDE?  E a EDUCAÇÃO? E a CULTURA? e , em suma, a QUALIDADE DE VIDA? ... As migalhas que sobram?!!! 

Agora fala-se muito em "REQUALIFICAÇÃO". Mas toda a acção de requalificação,  seja ela urbana, rural, ambiental ou paisagística,  é iniciada por escandalosas manifestações de "desqualificação".  Repare-se no que são os nossos Hospitais Públicos e Centros de Saúde, os "estaleiros de obras", o estado das bermas das nossas estradas e auto-estradas,  das nossas praias, dos nossos  jardins e das nossas matas e parques, etc., etc., etc... 

O espelho que melhor reflecte a verdadeira e real imagem dum País, é o Banco de Urgência dos seus Hospitais e a qualidade do seu meio ambiente. E penso que a maioria de nós, de uma forma ou de outra, conhece qual é essa realidade! 

Um dos grandes males do Português enquanto Nação, Povo ou Indivíduo foi sempre ter cultivado, voluntariamente ou por imposição mais ou menos disfarçada de desígnio Patriótico, o desejo de "ser O MAIOR" em vez da Vontade de ser "O MELHOR". 

Se queremos erradicar dos nossos hábitos, dos nossos  costumes e das nossas mentalidades, as posturas aberrantes que todos os dias se nos deparam  em concreto, e que alguns de nós temos vindo a combater,  se calhar  demasiadamente no abstracto, não podemos perder tempo. 

A denúncia das situações menos próprias e atentatórias da nossa dignidade como Povo que gostaria de poder ser considerado civilizado, é tão importante como a sensibilização pelo ensinamento e pelo exemplo. Mas o protesto e viva manifestação da nossa indignação não devem nem podem  ser esquecidos. 

E a principal acção a ser desenvolvida terá de ser pela positiva.  Aquilo que somos no TT,  na Cidade,  na estrada ou fora dela,  é o reflexo daquilo que somos na Vida e na Sociedade.

Vamos pegar em ideias que "ciclicamente" são ventiladas mas que acabam por ir para o "limbo" do esquecimento  até que nova vaga se forme?

Álvaro Oliveira
21 de Julho de 2001

 

Comentários para   contacto@ttverde.com 

 

 

0

 

 

 

 



O canal do Tempo, de Luís Sanches  [xiritung@clix.pt]
InforTempo

Pesquisar o TTVerdePT


 

 
 

Pesquisa Naturlink



 

Contacto webmaster@ttverde.com