©TTVerdePt (2000)   

A opinião*  de Pedro Pereira

EsTTimados,

Mais vale tarde que nunca.

Na sequência da mensagem (...) que  teve o mérito de gerar polémica e agitar as águas,   também eu não resisti a mandar mais alguns "paus" para a fogueira.

TT-Verde ou TT Ecológico ou Eco TT,  para mim não existe!!

Só poderá existir no dia em que os veículos deixarem de assentar as suas rodas no chão, deixarem de emitir gases poluentes, as suas mecânicas não libertarem resíduos lubrificantes  e também no dia em todos os seres humanos deixarem de produzir lixo .

Obviamente, nesta situação, passa a haver "Verdura" e "Ecologia", mas deixa de haver TT.

O que existem são seres humanos mais ou menos preocupados com o ambiente que os rodeia, com mais ou menos respeito pela Natureza que nos sustenta.

Ora é esta maior ou menor preocupação que cria os tais dois grupos comumente designados por "justos" e "pecadores", e por uns pagam os outros!

Julgo que é por aqui que passa o futuro do Todo-Terreno.

De que serve andarmos nós a limpar matas e caminhos, que tem como único objectivo, (e julgo que nos podemos deixar de hipocrisias),  fazer com que a opinião publica (e os poderes instituídos) continuem a ver esta actividade como não prejudicial à natureza, se depois aparecem alguns elementos, os quais costumo chamar de "aceleras", que não hesitam em passar por cima de um campo acabado de lavrar,  esgravatar no "pata a fundo" uma subida deixando-a inutilizável (situação referida num mail do Rui Marques) ou galgar uma duna coberta por vegetação porque não conseguem, ou não tem habilidade para tal, subir o trilho já aberto por outros carros?

São estes comportamentos que tem que ser fiscalizados e banidos. Mas como faze-lo ??

Pondo um policia em cada caminho!?
Sermos nós os policias de cada caminho!?

Tenho a impressão que esta ultima, deverá ser a única forma de atrasar o processo de "limitações" e "proibições" que cada vez é mais agressivo, em relação ao TT.

Vid. o exemplo da Serra de Sintra, em que é proibida a circulação de veículos motorizados em quase todos os caminhos,  quando ali no meio a ECTT (em terrenos públicos ou privados, tanto se me dá pois estão dentro do tão falado Parque Natural Sintra/Cascais), se dá ao luxo de construir os seus obstáculos dentro da barragem que dá de beber ao concelho de Cascais.

Desculpem o incomodo/desabafo(longo)!

Um abraço
Pedro (do110)

(forum-tt@egroups.com, 6 Dez 2000)

* (com autorização expressa do autor)

 

TT a sério e tudo...

Para mim e para a minha família, é definir-mos um objectivo geográfico, arranjar mapas, cartas topográficas, para que a malta não se desoriente, farnel e manta para o pic-nic, os amigos "pró"  convívio, e partir...

De jipe, a pé, btt, kayak ou seja qual for o meio de transporte, o importante é ir à descoberta.

Depois é tentar chegar, devagar, devagarinho, ou parado a contemplar uma paisagem, ao alto de uma serra ou ao rio encravado num vale ou à enseada de uma barragem, onde se possa dar uns mergulhos refrescantes.

Os obstáculos que vamos encontrando ao longo do percurso que definimos, e porque a vida não são só facilidades, são para ser ultrapassados, mas não a qualquer custo como alguns pensarão, porque por vezes o custo é demasiado elevado e a Natureza é para ser respeitada, e  por vezes Maior que a nossa vontade. Assim, quando a parede de rocha é demasiado alta e nós não somos escaladores, quando no meio do rio nos aprecem rápidos demasiado selvagens ou mesmo no final de um trilho nos aparece uma barragem, é preciso pensar duas vezes e com bom senso, reduzir-mo-nos à nossa insignificância e procuramos alternativas.

É isto meus amigos!
TT é mais do que ter um jipe cheio de equipamento, ou uma botas de montanha enfiadas nos pés, é sentir que estamos no meio da Natureza, e que, tal como o nosso semelhante, tem que ser respeitada, preservada e amada, porque mais século menos século estará em vias de extinção. Provavelmente, os nossos bisnetos, já só farão TT em parques fechados com obstáculos artificiais.

Nós ainda temos o privilégio de passear por sítios onde, apesar de estarmos a algumas dezenas de quilómetros da civilização, nos sentimos como os nossos compatriotas Quinhentistas, descobridores em florestas virgens.

Não se esqueçam nunca, de que, mais do preservar, é necessário reconstruir, por isso deixem sempre a Natureza como a encontraram, e se não gostaram do que encontraram contribuam para melhorar .

Para finalizar, não me voluntarizo para a organização de uma acção de limpeza de matas, mas podem contar com cinco voluntários e o nosso  "autocarro" para acartar com o lixo que aparecer. Mais, sugiro que, nos locais de limpeza, se forem propícios a isso, plantemos, simbolicamente, arvores. Tenho alguns pinheiros mansos que neste Outono vão ser replantados na serra de Sintra (se não houver outro destino).

Julgo ter contribuído para uma melhor definição do que é "TT a sério e tudo..."

Aceitam-se mais sugestões.

Um grande abraço a todos e em especial a (...) quem despoletou esta reflexão.

Pedro (do 110)

PS: (...) já experimentas-te descer a pé do mosteiro de S.João de Arga, até às piscinas naturais?? É um passeio muito bom num sitio lindo de morrer.


forum-tt@egroups.com, 24 Agosto 2000)

* (com autorização expressa do autor)

Comentários para   contacto@ttverde.com 

 

 

0

 

 

 

 



O canal do Tempo, de Luís Sanches  [xiritung@clix.pt]
InforTempo

Pesquisar o TTVerdePT


 

 
 

Pesquisa Naturlink



 

Contacto webmaster@ttverde.com